EFICIÊNCIA Técnica e Inovatividade: um Estudo em Hospitais Privados Brasileiros

Nome: THIAGO CHIEPPE SAQUETTO
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 10/12/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Teresa Cristina Janes Carneiro Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alfredo Sarlo Neto Examinador Interno
Rodrigo de Alvarenga Rosa Examinador Externo
Teresa Cristina Janes Carneiro Orientador

Resumo: A inovação é considerada atualmente um dos principais fatores que contribuem para a diferenciação competitiva e para a melhoria do desempenho organizacional. Investir na capacidade ampla de promover inovações, a inovatividade, tem sido destacada como o caminho para que as empresas alcancem o sucesso em mercados marcados pela grande competitividade. No segmento hospitalar, os empreendimentos têm investido em inovação como forma de promover melhorias que tanto aumentem a qualidade de seus serviços à saúde, quanto contribuam para a melhoria de sua eficiência. Todavia, diante da diversidade com que os termos inovação e inovatividade são utilizados na literatura, ainda persistem questionamentos quanto às reais contribuições destes fatores, inovação e inovatividade, para o desempenho dos empreendimentos. Principalmente em segmentos cuja dinâmica inovativa se distingue dos demais por suas especificidades, como no segmento hospitalar. Sendo assim, esta pesquisa procurou contribuir para o esclarecimento da influência da inovatividade no desempenho hospitalar. Para tanto, a inovatividade foi definida como uma medida da capacidade ou propensão da empresa inovar, tanto percebida pela cultura interna da organização quanto por sua forma de atuar no mercado. Sua operacionalização foi possível pela compilação de variáveis provenientes de dois construtos de inovatividade: Inovatividade Organizacional (IO) e Inovatividade Percebida da Firma (PFI). O desempenho operacional foi definido como uma medida da eficiência com que o empreendimento hospital privado utiliza-se dos recursos de que dispõe para prestar serviços, comparativamente à outros hospitais privados. Através de uma revisão ampla de literatura, foram identificadas variáveis não financeiras frequentemente utilizadas nas pesquisas hospitalares, tanto nacionais quanto internacionais. Sua operacionalização se deu através do modelo matemático Data Envelopment Analysis (DEA). Com base em uma amostra de 17 hospitais privados, constatou-se que a inovatividade percebida pelos gestores hospitalares possui relação inversa com a eficiência técnica operacional dos empreendimentos hospitalares.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910