Gerenciamento de resultados mediante decisões operacionais e sustentabilidade corporativa no Brasil

Nome: ESTEPHANYE PAGANOTTI DA CUNHA
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/12/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Gabriel Moreira Campos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Gabriel Moreira Campos Orientador
Jose Elias Feres de Almeida Examinador Interno
VALCEMIRO NOSSA Examinador Externo

Resumo: O objetivo desta dissertação é analisar a relação entre gerenciamento de resultados mediante
decisões operacionais e fatores de sustentabilidade corporativa das companhias não financeiras
listadas na BM&FBOVESPA. A detecção de gerenciamento de resultados por decisões
operacionais se dá por meio dos resíduos (erros) da regressão e representam um nível anormal
das atividades reais da empresa, sendo, assim, uma proxy para essa forma de gerenciamento
(PAULO, 2007). Em revisão da literatura nessa temática, constatou-se que existe uma lacuna
na investigação sobre gerenciamento de resultados no contexto de sustentabilidade corporativa,
haja vista que são poucos os estudos que abordam o tema e os resultados encontrados são
divergentes. Assim, para a realização deste estudo, utilizou-se uma amostra totalizando 1445
observações no período de 2005 a 2015, coletadas por meio do sistema Comdinheiro. Para a
operacionalização da pesquisa, fez uso da análise de regressão pelo modelo Pooled Ordinary
Least Squares (POLS) em painel, com erros-padrão robustos clusterizados pelo setor e ano. Os
resultados obtidos, sugerem não existir relação entre a prática de gerenciamento de resultados
mediante decisões operacionais e o ingresso de companhias na carteira ISE, entretanto, entre as
variáveis referentes a fatores de sustentabilidade corporativa, foi verificado relação positiva nos
três modelos de manipulações operacionais utilizados entre a evidenciação de fatores de
sustentabilidade corporativa com base na GRI e gerenciamento de resultados mediante decisões
operacionais. Conclui-se que, a entrada de companhias na carteira ISE não as influencia em
manipularem seus resultados operacionais, e esse achado corrobora ao estudo de Silva (2014).
Entretanto, os dados indicam que as companhias utilizam a sustentabilidade corporativa a fim
de praticarem gerenciamento de resultados mediante decisões operacionais, assim como
identifica-se nas pesquisas de Prior, Surroca e Tribó (2008); Salewski e Zülch (2014); Heltzer
(2011) e Beuren e Rodrigues Junior (2014).

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910